Buscar

Consumo de informação essencialista

Atualizado: 29 de jul.

O que mais tem na internet é conteúdo, mas como filtrar o que você realmente precisa?

Como consumir conteúdo de forma mais essencialista?


Quando você quer saber mais sobre um assunto, você começa a pesquisar e conteúdos começam a aparecer. Milhares deles.


Muitos perfis, artigos, livros, PDFs, cursos online, vídeos no youtube...

É bem fácil se perder ou entrar num ritmo insustentável com tudo isso.



vários livros abertos, com folhas amareladas uns sobre os outros


A real é que você não precisa consumir muito conteúdo, você precisa consumir os conteúdos certos para você nesse momento, isso não tem nada a ver com excesso.


Você não precisa estar 100% ligado em tudo o que está acontecendo na internet ou na cabeça das outras pessoas. É importante estar ciente e ativo no contexto global, mas se você não tiver tempo para processar um conteúdo que consumiu, não vai conseguir fazer muita coisa com essa informação.


Informação vira conhecimento quando você absorve o que consumiu.


Meu método tem sido:

Se quero ler um livro, compro ele e leio saboreando cada pedaço.

Se quero fazer um curso, compro ele e aproveito as aulas.

Eu me comprometi a não baixar mais livros gratuitos ou me inscrever em eventos que não vou conseguir aproveitar de verdade.


Isso também vale para seguir muitos perfis nas redes sociais ou querer estar por dentro de tudo o que acontece em uma única rede social.


Aqueles "gratuitos" que você nunca vai fazer.


É mais fácil ter uma pasta no computador cheia de livros em PDF que você nunca vai ler. Eu já fui essa pessoa.


Sem extremismo, pra quem não tem dinheiro pra comida, baixar um livro em PDF é tudo o que há - eu também já fui essa pessoa e ter essa possibilidade me abriu muitas portas.


Mas também não dá pra negar o fato de que quando pagamos por alguma coisa, existe um comprometimento maior afinal de contas saiu dinheiro do nosso bolso. Dinheiro é tempo de vida - estamos dando tempo da nossa vida pra esse conteúdo, tem que valer a pena, certo?


Além do mais, pagar por um livro ou por um curso é valorizar o tempo da pessoa que fez aquilo acontecer. Não é um passe de mágica traduzir uma ideia para o mundo em forma de conteúdo coeso, existe um processo por trás, muitos estudos e muito tempo de amadurecimento. Aprendi a valorizar muito isso em mim e no outro.



uma xícara preta e um pequeno bulê preto de cerâmica sobre um sofá cinza em uma sala difusa


Consumo de informação essencialista envolve curadoria.


Essencialismo é um método de discernimento sobre as escolhas.

Saber separar o que é essencial do que é trivial e com essa consciência, ter mais tempo, fazer as coisas certas e ter mais qualidade de vida.


O termo foi amplamente propagado pelo escritor Greg McKeown com o livro Essencialismo - A disciplinada busca por menos.


Por outro lado, no consumo de informação digital, tem o movimento Minimalismo digital, que é uma filosofia diferente de relação com a tecnologia. Explico melhor sobre isso nesse vídeo aqui:






Curadoria é a chave para consumir menos conteúdo.


Curadoria é saber selecionar o que você quer e fazer a gestão disso que tem em mãos. Ser seletivo nessas horas é muito importante, porque é ser nada mais nada menos do que realista.


A tentação de fazer sempre mais, saber mais, buscar mais, porque afinal de contas nós temos esse poder chamado internet nas mãos, é muito grande.


Não existe a menor possibilidade de conseguirmos consumir todo o conteúdo que gostaríamos de consumir, é informação demais.


Sabendo disso, fazemos escolhas mais conscientes, mais alinhadas às nossas necessidades e nossos valores.



Antes de procurar alguma informação, se pergunte:

  1. O que eu preciso saber agora?

  2. Onde quero aprofundar meu olhar?

  3. O que está latente?


E depois que você encontrou o conteúdo:

Esse conteúdo está alinhado aos meus valores?

Perguntas que servem de filtro, para ajudar a mapear melhor as nossas escolhas.


Nem sempre você precisa ir até o fim. Não sou a favor de ideias rígidas do tipo: esse livro tá um saco, mas vou ter que ir até a última página. Se deixou de fazer sentido, o outro capítulo pode ser melhor ou realmente não rola mais sentimento. Tudo bem. Mas a atenção que você deu a esse conteúdo até agora foi de maior qualidade.



rodovia complexa cheia de ruas e com muitas árvores ao redor


Dá para estudar várias coisas ao mesmo tempo, sim.


Uma coisa é lei: sempre podemos aprender coisas novas, não sabemos de tudo e quanto mais sabemos, mais queremos saber. Ou seja: aprendizagem infinita.


O conhecimento caminha em paralelo às ações.


Nesse momento, eu estou lendo vários livros ao mesmo tempo, o que há alguns anos atrás era loucura e hoje faz total sentido pra mim. Sabe por quê?


Estou desenvolvendo várias habilidades e percepções diversas em paralelo e isso envolve vários tipos de estudos. Não estou com pressa para chegar "no fim" e o caminho fica mais leve quando eu posso ir de um para outro.


Não enjoo da narrativa, não pego ranço, a leitura fica mais leve e mais dinâmica.

Faço anotações sobre as coisas importantes e trago pra vida prática, converso com outras pessoas sobre, trago referências para os conteúdos que crio e por aí vai...


Como tem sido o seu consumo de informação? Acelerado, lento, confuso...?

Se você quiser conversar comigo sobre, vou adorar.


Até mais.


_____________________

Quem escreveu esse artigo?

Késsile Tanski, sócia fundadora da Direção, comunicadora, empreendedora, criadora de conteúdo, mãe de dois e entusiasta do slowliving :) Buscando a consciência em todas as áreas da vida.

36 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo