Buscar

5 princípios do Empreendedorismo Consciente

Atualizado: 28 de jul.


O empreendedorismo consciente, dentro da nossa prática e estudo, tem 5 princípios.


Esses princípios são a nossa lista primordial de valores, que guiam todas as metodologias e decisões que eu fazemos aqui, como oriento clientes, alunos e como buscamos trabalhar em equipe.


Diferente do empreendedorismo comum, o empreendedorismo consciente tem a preocupação de ir além do crescimento financeiro individual, mas existindo sim com a função de regenerar o que for possível, dentro e fora, buscando sempre o caminho mais coerente e ético.


Nesse caminho, o consciente não é só uma palavra bonita ou contemplativa. Estar consciente é olhar as coisas como elas são, não apenas como parecem ser ou como eu as vejo, mas sim na sua materialidade e realidade.


Perceber a realidade pode ser doloroso ou frustrante, caso você esteja vivendo uma idealização muito grande do seu próprio negócio ou do mundo. De qualquer forma, é transformador, pois te possibilita enxergar as coisas de uma nova forma e encarar a construção do seu negócio com os pés no chão.



imagem ilustrativa com 5 círculos se conectando, identificando os 5 princípios do empreendedorismo consciente: propósito, consciência, responsabilidade, equilíbrio, conexão.


Sendo assim, os 5 princípios são chaves que vão guiando e facilitando decisões no seu negócio consciente.



1. Propósito: é um farol que te guia.

Propósito, dentro da metodologia que explico no curso Plano de Origem, não é uma coisa banal, é extremamente fundamental e pode ser desenrolada, descoberta e ampliada.


O propósito de uma marca pode ser criado de acordo com a própria história da pessoa que constrói o negócio, que começa o empreendimento, assim como da análise de mercado que vai te mostrar quais brechas existem ali e precisam ser resolvidas.

2. Consciência: pessoal, financeira, social e ambiental.

Aqui entra a sustentabilidade, com o tripé da sustentabilidade (financeiro, social e ambiental) e agrego também o aspecto pessoal, para que haja um equilíbrio entre a expansão do trabalho para o lado de fora com a nutrição interna e quantos benefícios esse trabalho entrega e traz.


Sem tomar consciência desses pilares, não existe como mudar as coisas. Você precisa conhecer o que quer mudar, inclusive para ter ações mais assertivas.


Falo com profundidade em mais de 100 orientações sobre esses 3 pilares da sustentabilidade no Guia da Marca Sustentável, nosso e-book.

3. Responsabilidade: consigo, com o outro, com o mundo e os impactos.

O comprometimento é muito importante, desde a informação que é compartilhada até o material utilizado no produto. Tudo importa e impacta, então vamos alinhando todos esses pontos no caminho. Entra aqui também o comprometimento com as coisas que você sabe que são importantes para você, por trás de toda a concepção do seu trabalho.


A responsabilização não é só individual, então esse pilar se ramifica em comunidades, diálogos ampliados, pesquisa e muita escuta ativa. Responsabilidade é presença - eu não jogo a bola pro outro, eu busco entender o que acontece e escolho me envolver para resolver.

4. Equilíbrio: o quanto você coloca ou deixa de colocar sua atenção - e aonde.

Nosso tempo e nossa atenção são coisas limitadas e quando empreendemos, dividimos isso em várias tarefas e demandas, somando com as questões pessoais, fica ainda mais complicado.


Por isso, a busca pelo equilíbrio é essencial dentro da visão do empreendedorismo consciente.


Nesse caso, eu puxo o gancho do movimento slow, que é um movimento global com o objetivo de equilibrar o eu, a natureza, o trabalho e as relações, através de ações concretas em cada um deles, se ramificando para todas as áreas possíveis que você puder imaginar (slowliving, slow work, slow food, slow fashion...)


Alinhados também a esse princípio é que falamos (e buscamos praticar) o bem estar digital, com a criação e consumo de informação feita com intenção, com calma e responsabilidade, e a relação saudável com a internet.


Nesse vídeo falo sobre minimalismo digital, o que conversa bastante com a busca por esse equilíbrio on e off.



5. Conexão: relações humanas são a base de tudo.

Por isso, empreender de forma consciente é se relacionar de forma consciente.


Aprender a se comunicar sem agredir através da fala ou dos gestos (assertividade não é agressividade), aprender a estar presente nas interações, inclusive digitais, a fazer parcerias sólidas e criar laços de confiança com as pessoas.


Os benefícios disso são: engajamento real e duradouro, fidelização de clientes, movimento espontâneo de indicações, criação de comunidades e conexão de humano para humano, mesmo que tudo isso seja feito através de uma empresa.



mulher de cabelo loiro e preso com uma trança no topo da cabeça, em frente a várias plantas, vestindo uma blusa que diz: don't look back, you're not going that way (não olhe para trás, você não está indo para aquele lado)


São coisas realmente essenciais que aplicadas trazem um retorno saudável em todos os sentidos: financeiro, social, ambiental, emocional e mental. É essa busca integral de não deixar nenhum canto de lado, porque tudo importa e, claro, é uma construção de longo prazo.



Você sente falta de métodos que contemplem seus valores?


Como disse acima, esses princípios são os valores que temos por aqui e eu senti muita, mas muita falta de métodos de marketing que fossem alinhados com isso, quando comecei a empreender. Métodos que fossem justos, éticos e que dessem espaço para a minha subjetividade. Então eu fui testando, estudando e adaptando até chegar na minha própria forma de criar, estruturar e comunicar.


Esses métodos que eu desenvolvi, transformei em e-books e cursos, que estão disponíveis aqui no nosso site. Dê a sua volta e aproveite :)


Com esses cursos e essas metodologias, nós faturamos mais de 30 mil no primeiro ano da Direção, começando realmente do zero em um perfil e um negócio novo, tendo mais de 250 alunos e clientes impactados, conseguimos expandir a equipe e fazer parcerias incríveis de uma alta sintonia e fluidez.


Digo isso porque é possível fazer um trabalho consciente, embora não seja uma trajetória fácil. Desafios fazem parte da vida e estar aberto para acolher é o melhor caminho.


Espero que tenha gostado de conhecer mais sobre a nossa abordagem consciente de trabalho - e de vida.


Se você quiser, compartilhe com alguém que você sabe que também vai se identificar muito com isso. Quero muito que pessoas com intenções generosas e regenerativas tenham acesso a um empreendedorismo mais consciente.


Com amor, Késsile Tanski.


65 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo