top of page
Buscar

Guia de apoio para o Rio Grande do Sul: enchentes catastróficas, resgate e acolhimento às vítimas

A crise climática é real e já coleciona rastros de destruição. Cidades inteiras, ou o que sobrou delas, ilhadas. Sem água potável, sem energia, sem comunicação, sem comida. 


Os rios saturados transbordam e engolem bairro atrás de bairro. Pessoas e animais em cima das telhas, que um dia foram proteção. Aguardando socorro. Aguardando resgate. De helicóptero, de barco. É o único jeito de sair vivo dessa, para milhares de pessoas. É cena de guerra, infelizmente muito triste, mas nós precisamos agir coletivamente!


As recentes chuvas aqui no Rio Grande do Sul têm causado e ainda estão causando devastação e desespero em várias comunidades.


Frentes frias intensas, bloqueadas por uma zona de alta pressão no centro do Brasil, resultaram em chuvas volumosas e persistentes, levando a uma onda de calamidade pública no estado. Entenda aqui por que isso está acontecendo.

O resultado: enchentes de proporções assustadoras! A maior tragédia climática do estado e uma das maiores do país:


De acordo com a Defesa Civil do estado, são 345 municípios afetados, 19.368 pessoas em abrigos, 121.957 desalojados, 276 feridos, 111 desaparecidos e 83 mortos até o momento em que escrevemos isso. Entenda a dimensão aqui.


Se nada mudar, a probabilidade de você se tornar um refugiado climático é exponencialmente maior do que a de você se tornar um bilionário. 


Deu pra entender que tudo isso é real?


Guia de apoio para o Rio Grande do Sul

A união do povo é uma força poderosíssima que renova nossas esperanças. 


Diante da gravidade da situação, o povo brasileiro tem demonstrado que não somos gigantes só em extensão geográfica, não. Somos gigantes em generosidade e capacidade de articulação. São inúmeros os exemplos concretos do quanto é possível movimentar em união, humanidade e solidariedade. 


Tenham em mente essa força depois que a água baixar. Por que ela vai baixar e nós vamos precisar de toda força que pudermos reunir para reconstruir não só as casas mas nosso sistema de organização social (claramente falido) desde a essência.


Importante dizer que a situação ainda é muito crítica, não está melhorando, na verdade tem vários efeitos colaterais acontecendo no estado inteiro, como falta de água (romperam barragens), falta de luz, cidades ilhadas sem ninguém poder sair ou entrar, internet instável… O problema é sistêmico e generalizado. Ninguém está bem, mas todos estão dando o seu melhor para ajudar.


Antes de mais nada, como ajudar agora? 


Informe-se através de fontes confiáveis e não espalhe sem antes conferir se são verdadeiras.


Os alertas oficiais estão sendo transmitidos pelo Site da Defesa Civil do Rio Grande do Sul e também pelo Instagram da Defesa Civil do Rio Grande do Sul

Além disso, tem pequenas organizações independentes articulando as doações e resgates. Nossa intenção com esse artigo é centralizar o máximo de informações e divulgar fontes de apoio confiáveis em várias linhas de frente do RS.


Lista de organizações independentes e confiáveis para contribuir financeiramente:


Toda e qualquer ajuda é bem vinda. 


Se você tem 10 reais na carteira você tem mais do que a maioria dos gaúchos. Quando digo que toda ajuda é válida, é isso mesmo. 


  1. A @casadeculturaeresistencia é uma organização séria e muito importante que tem um compromisso com o debate a respeito da mudança climática e arrecada fundos para poder continuar auxiliando nos resgates, abrigos, doações através da chave pix casadeculturaeresistencia@gmail.com em nome de Casa de Cultura e Resistência 


  1. O Centro de Referência Indígena do Brasil,  @indigenadors , é uma frente solidária pelos direitos das mulheres indígenas e está recebendo doações através da chave pix  001.787.150-69 em nome de Alice Martins, Cacica Kerexú Takuá.


  1. O Quilombo dos Machado, espaço criado por populações formadas a partir de situações de resistência social e cultural, está recebendo doações através da chave pix quilombodosmado@gmail.com em nome de Vanda Tamires 


  1. A Comunidade Guarani está recebendo a doações de qualquer valor para compra de alimentos, lonas e outros itens básicos através da chave pix 21.860.239/0001-01



  1. A organização Guarani Retomada Nheengatu está recebendo doações para compra de itens básicos de sobrevivência através da chave pix 03287433059 em nome de Laércio Gomes Mariano


  1. A Corrente do Bem é uma ONG que atua há muitos anos na mitigação da desigualdade social e está aceitando contribuições através da chave pix correntedobem_sm@hotmail.com


  1. A Estação dos Ventos é uma ONG que cuida há anos de uma comunidade inteira em diversos aspectos e está aceitando doações através da chave pix 08570609/0001-08 que é o CNPJ da Estação dos Ventos.

  2. Ajude as famílias Guarani no RS, com contribuições de qualquer valor destinadas à aquisição de alimentos, lonas e itens básicos. Chave PIX: 21.860.239/0001-01

  3. Acolhimento às famílias atípicas: têm abrigos específicos para pessoas com deficiência e a procura é por itens que elas precisam com urgência como medicações. Uma das organizações que está cuidando disso é a Colo de Mãe. Apoie com a chave PIX: somoscolodemae@gmail.com



Guia de apoio para o Rio Grande do Sul

Quero fazer uma doação de material. Como fazer? 


O ideal é que você fale com pessoas e instituições que estão na linha de frente dos abrigos e entenda o que eles estão precisando no momento.


As necessidades mudam o tempo inteiro, porém as prioridades normalmente são: água potável, alimentos não perecíveis, itens de higiene pessoal, roupas de cama, toalhas, travesseiros, produtos de limpeza, sacos de lixo, roupas e calçados. Nessa ordem de prioridade!


Aqui em Santa Maria existe uma tabela que indica quais locais precisam de voluntários e que tipo de donativos são prioridade


É muito importante doar itens limpos e em boas condições já que não há como higienizar nos abrigos. Doação não é desapego ou descarte, doe o que as pessoas estão precisando nos abrigos e não apenas o que você não quer mais.


Separar roupas e calçados por tamanho e gênero e identificar as embalagens com etiquetas agiliza muito o trabalho dos voluntários e a distribuição. 



Doou? Compartilhe nas redes sociais!

Amplie a influência positiva.


"Fazendo isso [doação] publicamente porque rede social é pra gente influenciar, não? Direta ou indiretamente, aquilo que a gente posta tem um efeito nos outros.


Por mim, a gente viraliza a doação nos próximos dias. Algum jovem cria uma trend, todo mundo fica afim de entrar no hype, é ASMR de doação, musiquinha de doação, meme de doação, todas as marcas querendo entrar no bonde da doação... você vê gente doando em todas as redes sociais o dia inteiro. " @‌bitstobrands


Guia de apoio para o Rio Grande do Sul


E as crianças, como estão no meio de tudo isso?


É difícil demais equilibrar o estado mental para interagir com as crianças no meio dessa tragédia. Por sabermos disso, vamos compilar aqui algumas orientações mais focadas nas crianças e adolescentes.


Como explicar para as crianças o que está acontecendo? Nesse post, trouxeram vários pontos importantes para contextualizar a explicação, sem deixar de falar sobre isso com as crianças, afinal elas percebem que tem algo errado.


Crianças desaparecidas ou separadas dos pais no momento do resgate estão em abrigos e toda a divulgação está feita de maneira responsável no projeto Achamos Sua Criança.


Segurança para proteger os mais vulneráveis no caos urbano


Além das doações, estamos urgentemente precisando de segurança. Com a falta de luz, quando chega a noite, fica muito perigoso e estão acontecendo saqueamentos em estabelecimentos e nas casas, as pessoas estão desesperadas nessa situação de caos urbano. 


Então precisamos muito de segurança, se você sabe como ajudar e pode colaborar, procure as instituições e forneça ajuda.


Quero fazer Trabalho Voluntário, por onde começo?


Se você está em situação de segurança e quer doar seu tempo, mobilize amigos, colegas e seja o agente de engajamento da sua comunidade. Tem voluntariados acontecendo em diversas cidades, inclusive fora do RS, para organizar as doações.


Siga as orientações de segurança das autoridades locais e busque abrigos, órgãos públicos como a prefeitura da sua cidade, defesa civil, secretaria de desenvolvimento social, ONGs e descubra como ajudar. 


É muita gente precisando de ajuda e precisamos de muitos voluntários para revezar os times. 



Como os psicólogos podem ajudar e cuidados importantes:


Muitos psicólogas(os) com boas intenções querem ajudar, mas tem muitos pontos delicados para lidar quando o assunto é um trauma nesse nível. Pense, as pessoas abandonaram suas casas, deixaram tudo para trás, outras estão na linha de frente fazendo tudo que podem e nunca parece suficiente. 


Então, queremos compartilhar algumas orientações que selecionamos e são importantes:




Orientação do Instituto de Psicologia Baseada em Evidências (InPBE) fará um treinamento gratuito sobre como manejar pacientes com traumas, nesta sexta-feira, dia 10, ao meio-dia.


A crise climática não é um acidente, nós já sabemos disso. 


Somos a última geração a conhecer as estações do ano tal como existiu no último século. Isso é chocante. 


As catástrofes climáticas estão previstas há anos. Além do apoio emergencial, precisamos ter em mente a pressão por soluções reais de longo prazo

A solidariedade e o apoio mútuo são essenciais para enfrentar os desafios impostos por essas tragédias. 


Neste momento crítico, é importante que cada um faça o que pode, contribuindo para o alívio do sofrimento das vítimas e para a construção de um futuro possível para a nossa existência. 


A prioridade agora é o resgate e o acolhimento. Porém essa saga não termina aqui, pelas próximas semanas e meses precisaremos de muita ajuda aqui no RS, pois entrará a fase de reconstrução.


Absolutamente tudo é político e nos próximos capítulos a nossa única saída é explorar alternativas, vamos pensar para reconstruir também o nosso modo de existir nesse planeta para conservar a vida. 


Continue apoiando o Rio Grande do Sul.


E compartilhe esse material com mais pessoas que estão precisando das informações organizadas.


Um abraço apertado e seguimos juntos!


40 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page